Publicado por: Raquel | outubro 1, 2008

Desengano.

Ei, não se  engane  com  esse meu  ar  meigo e desprotegido.
Fuja enquanto  é  tempo! Depois não  diga  que  não  avisei…
Não se iluda com o  meu  olhar doce  de  aceitação plena,  é  só  o  olhar… A  alma que  habita esse corpo frágil, é tremendamente inquieta, mutável e insatisfeita. 
Por  mutável, entenda  que  minha  mais  absoluta certeza hoje, pode não passar de uma leve reminiscência amanhã, talvez  com  uma  pitadinha de  melancolia, ou  nem  isso.
Nem pense em  me  cobrar daqui a uma semana as  juras verdadeiras de  eternidade que  fiz  hoje. São  verdadeiras  sim, mas daqui a pouco  já  não  sei  mais…

Entenda  que eu  não  quero  ser má, mas sou má.

E o sou  não  por que  faça  questão de  ser, mas sim por  força  da  natureza.

Não se  pode pedir  que  alguém  seja o  mesmo o  tempo  inteiro,  pois até  as pedras, com  o  passar do  tempo se modificam, e  na natureza , o  que  não  muda se  estagna.

Egoísta? Sou!  Não  há  outra  forma de  ser. Só  posso ser  fiel ao  que  sinto,  pois  o que  sinto  é  tudo que  sei  desse Universo. Todo  o  resto  é  só  o  que  imagino  saber,  não  é  o  que de  fato  sei.

Volte  enquanto  é  tempo! Não  confie em  meus modos  tímidos, nada  mais são do que o cuidado em  verificar o  terreno…

Última  chance! Depois desse aviso, não  te  alertarei  mais.
Perco o  interesse facilmente por todo  assunto que já  sei, portanto, para ficar  por perto, terá de  inventar  coisas novas sempre,me despertar o  interesse a  cada momento.

Se eu  virar  névoa derrepente,  não  reclame. Além  de todos os  defeitos, a  inconstância também  me  habita.

Está ciente  de  que  eu  não  presto! Pronto!

Mas se não  tiver  medo de  se  machucar, quiser se  arriscar, venha!!! E saberemos se o prazer pode  superar a dor, se o  pulo para o  precipício nos levará  à  destruição, ou  nos proverá de  asas…

 

 

 


Responses

  1. Que esbarrão, Raquel! Eu estava vendo uns comentários antigos do meu blog, acabei chegando ao seu e comentei lá em outro post. Aí fui na comu do orkut e lá estavas tu de novo.
    Texto bonito. Foi tirado de onde? Te identificasse por inteiro? São bons esses momentos “autobiográficos”. É bom a gente entender a si mesmo, mesmo que no teu caso seja um grande desafio, pelo que diz aí, né.

    beijo

  2. Não sei se consigo me doar por inteiro, meus sentimentos tambem são inconstantes, minhas atitudes repentinas são constantes, não posso lhe afirmar algo bom nesse momento, não posso lhe afirmar nada. Mas lhe afirmo nesse instante que seus pensamentos são de longe algo intrigante, me intrigou e fascinou de forma que me identifiquei com tudo que ai está posto. Feito por você ou não, é algo que transparece o seu “eu” , isso me deixou bem fascinado.

    Até mais.

  3. “Não se pode pedir que alguém seja o mesmo o tempo inteiro, pois até as pedras, com o passar do tempo se modificam, e na natureza , o que não muda se estagna.”

    Isso é real.
    Infelizmente, não são todos que compreendem essa verdade. Se mudamos, aos olhos dos outros, somos pessoas falsas ou algo do gênero. E mudar é preciso para evoluirmos.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: