Publicado por: Raquel | setembro 11, 2008

Roupas para todas as ocasiões.

 

Um  Blog feito para a mulher (e para homens que  são admiradores delas tbm)

Não deixe de conferir o Blog da Mercatto atualizado.
Confira também o post: Visão em moda  Autor: Fátima Raquel

Espero vc lá.

Bjokas

Raquel

Publicado por: Raquel | setembro 7, 2008

Classe de palavras

Classe de palavras – Morfologia – Gramática

Em: http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com/

Publicado por: Raquel | setembro 6, 2008

Comer ou não comer a galinha?

 

 

Voltando aos comentários e tentando  responder ao questionamento   que o Wilhelm fez  no post  “Aula grátis: texto descritivo – Motor de busca”

Por: Wilhelm em Agosto 12, 2008
às 11:58 pm

 Uhm… uma pergunta qualquer me traz à tona um questionamento muito diferente, mas sempre pertinente.

Se você recusa-se a comer carne e alguém te diz: “ou você come esta carne de galinha, ou eu mato outra galinha.” O que você faz? =)

Escolhi  esse comentário  para  responder,  primeiro  porque  a  pergunta  foi  inusitada e  depois,  porque  me  remeteu  à  lembrança  deu  uma  situação estranha que  já  vivi com  galinhas.

Há  muito  tempo,  numa  outra  vida,  tive  a idéia  de ter  uma  existência o mais   saudável possível, e para  mim  isso  significava menos  agrotóxicos,  menos  hormônios na  carne…  Fui  morar  em uma  casa  com  quintal  imenso,  fiz  vários  canteiros de verduras,tomate,  quiabo,  aipim,  criei uma  “roça” urbana. Fiz  canteirinhos bonitinhos, como  aqueles  do gibi do Chico  Bento. Produzia  verduras  fantásticas. Também  resolvi  criar galinhas. Até  aí tudo  indo  perfeitamente normal,  ou  quase.

O que  começou  a despertar estranhamento  nas  pessoas  em  volta foi  o  fato  de  eu  não comer as  galinhas. Eu me  apeguei  as bichinhas, usava  os  ovos  fornecidos por  elas, mas a  idéia de  cortar  o  pescoço de  uma  delas me  repugnava  completamente. Eu  gosto  de frango,  mas  as  “minhas”  galinhas  se transformaram  em  bichinhos  de  estimação, eu  conhecia  cada  uma  delas, alimentava e  acompanhava  o  desenvolvimento. Não,  positivamente  não  havia  chance  alguma  de  uma  das  minhas  galinhas  ir  parar  na  panela. Quando  eu  queria cozer  um  frango, ia  ao  aviário  e comprava  um “estranho”.

Mas  como  tudo  muda  o  tempo  todo,  a mudança  chegou  e com  ela o  problema. Precisei  literalmente  mudar  de casa,  e para  onde  eu  ia  não havia  espaço para  as  minhas  galinhas. o  que  fazer  com  elas? Para  todos  ao  meu  redor  era  muito  simples. Cozinhe as  galinhas! E  não  faltavam  receitas: ao  molho  pardo, com  cenoura e  chuchu fica ótima, frango  com  quiabo, assadinha, frita,  refogada, ensopada… Choviam  sugestões  gastronômicas  de como  eu  deveria  degustar  minhas  galinhas. Ninguém  conseguia  entender que  eu  não  podia simplesmente comê-las,  isso  pra  mim  era  quase como praticar canibalismo, antropofagia. Eu  simplesmente  não podia.

Concluindo  e  respondendo à pergunta  do  comentário: Não  comi  sequer uma  coxinha das  minhas  galinhas, tive  de doá-las aos  parentes  e vizinhos e deixar  que  matassem e degustassem todas.

Abs

Raquel

Publicado por: Raquel | agosto 20, 2008

Saudade – Florbela Espanca

Saudades

(Florbela Espanca)

Saudades! Sim… Talvez… e porque não?…
Se o nosso sonho foi tão alto e forte
Que bem pensara vê-lo até à morte
Deslumbrar-me de luz o coração!p>

Esquecer! Para quê?… Ah! como é vão!
Que tudo isso, Amor, nos não importe.
Se ele deixou beleza que conforte
Deve-nos ser sagrado como o pão!p>

Quantas vezes, Amor, já te esqueci,
Para mais doidamente me lembrar,
Mais doidamente me lembrar de ti!

E quem dera que fosse sempre assim:
Quanto menos quisesse recordar
Mais a saudade andasse presa a mim!
 

 

 

Publicado por: Raquel | agosto 19, 2008

Tipos de discurso: direto, indireto e indireto livre.

 
 
Vozes  do  discurso.
 
Quando  lemos  um  texto, há  um narrador,  que  é  quem  conta  o  fato. Esse locutor ou narrador  pode  introduzir  outras  vozes  no  texto para auxiliar a narrativa.
 
Para  fazer  a introdução dessas outras  vozes no  texto, a voz  principal ou  privilegiada, o  narrador, usa o que  chamamos de  discurso. O  que  vem  a  ser  discurso dentro  do  texto? Discurso  é  a forma  como as  falas são inseridas na narrativa.
 
discurso pode  ser  classificado  em: direto, indireto e indireto livre.
 
Discurso  direto: reproduz  fiel e literalmente algo  dito  por  alguém. Um  bom  exemplo  de discurso direto são as citações ou transcrições exatas  da  declaração de  alguém.
 
Primeira pessoa (eu, nós) – é  o  narrador  quem  fala,  usando aspas ou  travessões para  demarcar  que  está  reproduzindo  a fala de outra  pessoa.
 
Exemplo de discurso  direto: “Não  gosto disso” – disse a menina  em  tom zangado.
 
Discurso indireto: o narrador,  usando  suas  próprias  palavras, conta  o  que  foi  dito  por  outra  pessoa. Temos  então  uma  mistura  de vozes,  pois  as  falas dos  personagens passam  pela  elaboração  da fala do  narrador.
 
Terceira pessoa – ele(s), ela(s) – O  narrador só  usa  sua  própria voz, o  que foi  dito pela  personagem  passa pela elaboração do  narrador. Não  há  uma  pontuação específica que  marque  o  discurso  indireto.
 
Exemplo de discurso indireto: A menina  disse em  tom  zangado, que  não  gostava daquilo.
 
Discurso  indireto  livre:  É  um  discurso misto onde . Há  uma  maior  liberdade,  o  narrador  insere  a fala  do  personagem  de  forma  sutil,  sem  fazer uso  das  marcas  do  discurso  direto. È  necessário que  se  tenha  atenção  para não  confundir a fala  do  narrador  com  a fala  do  personagem,  pois  esta surge  de repente em  meio  a fala do  narrador.
 
Exemplo de discurso indireto  livre: A menina  perambulava pela  sala irritada e zangada. Eu  não gosto  disso! E parecia  que  ninguém  a  ouvia.
 
 
tempo  verbal  também  é  fator  determinante dos  discursos. O discurso indireto  estará  sempre no  passado  em  relação ao  discurso  direto.
 
Discurso  direto –  tempos  verbais
 
Presente  do  indicativo:  “Não  gosto disso” – diz a menina  em  tom zangado.  
Pretérito  perfeito  do  indicativo: “Não  gostei disso” – disse a menina  em  tom zangado.
Futuro  do  indicativo: “Não  gostarei disso” – disse a menina  em  tom zangado.
Imperativo: – Vista o  agasalho,  meu  filho.
 
Discurso Indireto – tempos verbais
 
Pretérito  imperfeito do indicativo: A menina afirmou  que  estava zangada.
Pretérito-mais-que-perfeito  do  indicativo: A menina  afirmou que  estivera  zangada (composto –  A menina  afirmou que tinha estado  zangada)
Futuro do  pretérito : A menina disse que  estaria zangada.
Pretérito  imperfeito  do  subjuntivo: A mãe  recomendou-lhe que vestisse  o agasalho.
 
 
Publicado por: Raquel | agosto 17, 2008

E comentaram…

Esse Blog tem  um  gêmeo em http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com/ .  Recebi lá um comentário tão pertinente ao post de ontem, que tinha de fazer parte daqui, com os devidos créditos e link para o Blog do comentarista.

Bjokas
Raquel

caicko disse…

Hoje eu quero o breu, a penumbra. Minha luz afunda
o peito e pede recolhimento. Não sussurre piedade ou compreensão. Hoje a canção
é solitária e o meu casulo muito mais denso.

16 de Agosto de 2008 23:50


Quem escreveu isso está no blog : http://caioalbergue.blogspot.com/

Publicado por: Raquel | agosto 16, 2008

Recesso

Minha  vida  foi  atingida  pelo  caos.

Não,  nada dramático, até  porque  ando  numa fase  em  que  me  recuso  a  achar  qualquer  coisa  dramática. Simplesmente estou me  sentindo  meio  descrente,  meio  apática,  meio cínica  demais  para  sentir  qualquer  coisa  com  muita  intensidade. E como  gosto  de intensidade,  essa impossibilidade de senti-la  me faz   meio  melancólica.

 

É engraçado, talvez triste,  como  os  planos  que  fazemos  são  desfeitos por  ações externas a nossa vontade,(pessoas,  natureza, imprevistos). Isso  é  uma  coisa  que  me  irrita  muito:a perda  de controle sobre a  minha  vida.

 

Mas, ora, quem  é  que  tem  controle  sobre a  própria  vida? Crio  essa  ilusão  às  vezes,  me convenço de  que  o  controle  é  meu, fico  como  Poliana, fazendo  o  “jogo  do  contente“. Só  que  é  impossível brincar  sempre,  e hoje  estou  num  desses dias em  que  visito  a  coxia do espetáculo e vejo  a realidade nua de  onde  saem  todas as minhas  ilusões e fantasias.

 

Contudo, me  recuso a não  voltar  para  o  palco, iluminado e cheio de  ilusões  pairando, afinal é  no  mundo  das  ilusões  que  vivo  a maior  parte  do  tempo,  e é  objetivando  tornar  essas  ilusões reais, que  consigo  forças e consigo  mesmo realizar muitas  das  minhas  metas e objetivos… Hoje  vou  chorar para que  as  minhas  lágrimas  reguem  novas sementes de  ilusão, e amanhã elas germinem  com mais  força  do  que as  que  feneceram, desaparecendo com essa sensação de  espaço desocupado por  um  bom  tempo…

 

Bjokas

Raquel

Publicado por: Raquel | agosto 13, 2008

Esperança

http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com

 

“O amor se alimenta da esperança do encontro”
*D.A*

Publicado por: Raquel | agosto 10, 2008

Aula grátis: texto descritivo – Motor de busca

 

http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com/

Ao verificar como as pessoas encontram o blog, percebi que os assuntos, ou palavras digitados na busca poderiam servir de sugestão para os assuntos tratados aqui.
Então vamos ao primeiro artigo de uma série que vou denominar: Motor de busca.
A primeira busca que selecionei digitou: Como ensinar texto descritivo para crianças

Segundo Othon M. Garcia (1973), “Descrição é a representação verbal de um objecto sensível (ser, coisa, paisagem), através da indicação dos seus aspectos mais característicos, dos pormenores que o individualizam, que o distinguem.”

Pode-se afirmar que Texto Descritivo é aquele que leva o leitor, ou o ouvinte a “visualizar” o que está sendo dito, e como em uma foto, não há movimento no texto descritivo, pois o objetivo é capturar uma “imagem” como ela está no momento da descrição. Uma boa forma de fazer a criança entender é exemplificar para ela o texto descritivo verbal (falado ou escrito)e o texto descritivo não verbal(fotos, pinturas, desenhos), explicando que um pode complementar o outro. Por exemplo, a foto de um cachorrinho desaparecido ao lado do texto informando suas características.

Texto descritivo é , então, desenhar, pintar, usando palavras em vez de tintas. Um bom exercício para levar a criança a vivenciar o texto descritivo e pedir que ela olhe em volta e escreva ou fale o que está vendo,descrever objetos como, sua mochila, estojo, etc. Ou que ela conte como é o coleguinha ao lado,(nessa é bom ter cuidado, pois elas costumam achar defeitos horrorosos).

Algumas das características que marcam o texto descritivo são:

•presença de substantivo, que identifica o que está sendo descrito.

•adjetivos e locuções adjetivas.

•presença de verbos de ligação.

•há predominância do predicado verbal, devido aos verbos de ligação e aos adjetivos.

•emprego de metáforas e comparações, para auxiliar na “visualização” das características que se deseja descrever.

Essa é a explicação básica e resumida de “como ensinar texto descritivo para crianças”. Lembrando que ao descrever seres vivos, as características psicológicas e comportamentais, também fazem parte da descrição.

Exemplo de texto descritivo:

“A árvore é grande, com tronco grosso e galhos longos. É cheia de cores, pois tem o marrom, o verde, o vermelho das flores e até um ninho de passarinhos”.

Sei que a pessoa que escreveu isso no motor de busca,certamente já encontrou sua resposta. Mas a explicação pode servir a outras pessoas.Caso você deseje perguntar alguma coisa, deixe na área do comentário e eu reponderei por lá mesmo.

Abs
Raquel Costa.

Publicado por: Raquel | agosto 7, 2008

Sol e céu

http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com/

Hoje  não  estou  muito  inspirada a escrever, acordei com vontade viver. O  sol  está lindo, o  céu,  azul, pode-se  dizer que  está  um  céu  de  brigadeiro ( nunca  entendi  essa  expressão  direito),  pois ó  brigadeiro  não  é  azul, é  marronzinho 😉

Isso  deve  ter relação  com  a patente  de  brigadeiro. Mas eu  falei  que  não  ia  escrever…

Vou  deixar  pra  vocês  um  texto  que  achei  por  aí,  e vou  sair,  tomar  sol  na  cara e deixar  o  vento  fazer festa no  meu  ser,  embaraçando  todo o  meu  cabelo…

Bjokas.

Raquel

“Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece, quem faz da televisão o seu guru. Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos. Morre lentamente quem não vira a mesa quando não está feliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos. Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo. Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar. Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante. Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe. Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar. Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade.”

(Pablo Neruda)

Publicado por: Raquel | agosto 6, 2008

E nasce agosto…

Agosto
Esse mês surgiu como uma homenagem ao imperador Augusto (que significa Sublime), pois foi no oitavo mês do ano  no  qual  ele praticamente dominou o mundo inteiro fazendo mais guerras. (naquela  época  o  mundo  conhecido  era  bem  menor  do  que  atualmente)
Como o mês de julho foi em homenagem a Júlio César e possuía 31 dias, Augusto exigiu que Agosto também tivesse 31 dias. Solução: tirou-se um dia de fevereiro (daí os primórdios do ano bissexto).

A Rubina, uma  amiga    da Bahia, me passou  essa  informação, que  é ,  no  mínimo  interessante. Eu nunca  tinha  ouvido  falar  nisso e acho que    muita  gente  que  também  não  sabe,  por  isso  resolvi  compartilhar  🙂

Para quem  se  interessar mais  profundamente  pelo  assunto,  pode  até  render  uma tese  😉

Bjkas.

Raquel 😉

Publicado por: Raquel | agosto 5, 2008

Só descontração

http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com/

Nada contra  nem a  favor…Muito  pelo  contrário 😉

O guarda de trânsito pára a loira que estava trafegando na contramão e
pergunta: – Posso saber onde a senhorita estava indo?
E a loira: -Ah, seu guarda, acho que nem vou mais…Ta todo mundo voltando!
__________________________________________________________________

Uma loira vai numa loja de liquidação de utilidades domésticas e :
– “Eu queria levar essa TV”, diz ela.
– “Desculpe, não vendemos para loiras”….
Ela correu pra casa, tingiu o cabelo e voltou na loja:
– “Eu queria essa TV”…
– “Desculpe, mas não vendemos para loiras”…
– “Pôxa, ele me reconheceu…” Pensou ela…
Então ela foi pra casa e fez um disfarce completo: cortou o cabelo, tingiu (de novo), colocou uma roupa diferente, óculos escuros e pronto….
– “Oi… eu queria comprar essa TV”…
– “Desculpe, mas não vendemos para loiras”…
Entre frustrada e P. da vida, ela pergunta:
– “Ué, como você sabe que eu sou loira???”
– “Porque isso aí não é uma TV… é um microondas”

Publicado por: Raquel | agosto 3, 2008

Marcas da Ausência.

 

 http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com/

Marcas da  ausência

Lavei minhas mãos,
hoje nuas dos teus afagos,
tentando apagar as marcas das tuas.
Lavei no regaço, lavei nos meus braços
a chama dos teus abraços,
invisíveis apenas aos olhos alheios.
Porém foi inútil o meu anseio.
Na boca está viva ainda a lembrança
de tuas carícias, leves, ousadas.
Teus antigos gestos de amor
agora são farpas
com que me maltratas, embora à distância.
Insistente,
na ânsia de ver-te afastado de mim,
lavei minha boca,
úmida ainda de teu beijo.
Enfim, lavei o meu corpo,
lavei-o com calma.
Só não pude lavar minha alma.
Esta continua impregnada de teu cheiro.
Insistente e aflita,
tentei novamente lavar-me
no corpo e na mente,
lavar as lembranças,
levar para longe a extinta esperança.
Novamente inútil foi meu desejo.
Assim como inútil a ânsia
pelo teu beijo.*Desconheço a autoria*

 

Publicado por: Raquel | agosto 3, 2008

Pausa para reflexão…

Lendo os textos abaixo, o que eles te fazem pensar ?

“Do deserto do norte devia chegar a sorte,a aventura,a hora milagrosa,que,pelo menos uma vez,cabe a cada um. Para essa vaga eventualidade ,que parecia tornar-se cada vez mais incerta com o tempo,os homens consumiam ali o melhor de suas vidas.”(O Deserto dos Tartáros – Dino Buzzati-)

“Pois bem, que assim seja! Que minha guerra contra o homem se eternize, já que cada um de nós reconhece no outro sua própria degradação… já que somos ambos inimigos mortais. Quer deva eu conseguir uma vitória desastrosa ou sucumbir, o combate será belo; eu, sozinho contra a humanidade”(Lautreamont -Cantos de Maldoro)

Publicado por: Raquel | agosto 3, 2008

Abstrata

Abstrata (09-00)

)

Quem sou eu?!
Sou nuvem pronta a desaguar…
Sol, que arde a pele e aquece a alma
Brisa , que acaricia o rosto
e trás cheiro de saudade….
Sou nevoeiro onde se perdem
os sonhos… e o que se ganha?
maturidade?!
Sou força da natureza
Suavidade…
Aspereza…vai saber…
Sou abstrata!!!

 


Publicado por: Raquel | agosto 1, 2008

Dicas úteis

 http://devaneioseloucuras-raquel.blogspot.com/

Como  tirar  manchas de roupa, mas  é  bom  tirar  a roupa antes de tentar tirar a mancha. 😉

Tinta  de  caneta  – Jogue  álcool, mas  nunca  perto de  fogo. Caso  a mancha não  saia toda  na  primeira  vez,  vá  repetindo até  sair de  vez.

Sangue – o  quanto  antes  ,  melhor. Derrame  um  pouco  de  água oxigenada pura em  cima  da  mancha. fica  novinha.

Ferrugem – Espalhe  sal na  mancha e esprema suco  de  limão  em  cima, deixe  no  sol,  ou  em qualquer  lugar até  a mancha  sumir  completamente.

Vinho – Não sei ainda. Talvez  água  fervendo.

Terra – É só  lavar  bastante.  🙂

Mas  na  dúvida, tentem  o  álcool  ou  a água oxigenada,  eles resolvem  quase todas as manchas. 😉

Abs

Raquel 😉

Publicado por: Raquel | agosto 1, 2008

Amador sooofre!!!

 

Descobri  que  “blogar” não  é  tão  simples assim. Tudo  bem  o  básico  é  simples… Mas… Como  boa  capricorniana, eu  não  me  contento  em  atingir  uma  meta. Assim  que  consigo realizar  algo, aquilo  já  não  me  contenta  mais. Eis que, consegui criar  o  Blog,  consegui  movimentar  o  Blog, tudo  isso com o  básico oferecido pela hospedagem  desse servidor. Mas  agora  eu  quero  mais…mais… e mais. Preciso de  novas  metas  à atingir.

Quero  musiquinha,  quero figurinhas, quero fazer um  Blog bonitinho, arrumado, como  muitos dos  que  eu  vejo  por  aí.

Fui lá,  fiz  um  player  com  minhas  músicas  preferidas. (calma, eu  ia  colocar  ele pausado,  pro  visitante  só  ouvir  caso  apertasse  o  play).  Mas que  nada!!! Nada, nada, nadinha. Passei um bom  tempo  procurando  onde  colocar  o  tal  do  código  aqui,  e nada. Por  hoje  eu  desisto de fazer “firulas” no  Blog.

Porém…caso  alguém  tenha  alguma  dica pra me  dar,  de como  colocar  o  danado  do  player aqui,  eu vou  gostar  muito e talvez volte  a mexer…

Abs

Raquel

Publicado por: Raquel | julho 31, 2008

Mudando de assunto… Comentários

Sou  relativamente  “estreante”  nessa nessa história  de “blogar”. Na  verdade tenho  Blog há  algum  tempo  já, mas  nunca tinha  dispensado  atenção a isso.

Só  essa semana resolvi  parar  um  pouco  mais  aqui,  e confesso  que  estou  adorando a  parte dos  comentários. Leio  cada um  deles  com  toda  atenção, e fico  fascinada  com  a diversidade  de opiniões… Confesso  que  leio  até  alguns  comentários dos  blogs  alheios,  onde  passo  para  comentar  também.

A diversidade  de opiniões e  dos  pontos de vista  abordados sobre o  mesmo  tema é muito  interessante.

Portanto,  comente, seja  qual  for  a sua  opinião, pode escolher  o  post, não  precisa  ser necessariamente o  mais  atual.

Abs

Raquel

Publicado por: Raquel | julho 31, 2008

Gozar a vida!

Pois, hoje  é  o  dia  do orgasmo. O  que  dizer  sobre? Complicado,  pois  o  orgasmo  em  si  é  só um reflexo  biológico,  como  quando  o  médico bate  no  joelho  e a gente  chuta. Coisa  sem  graça, conseguida por  qualquer  quadrúpede( animal mesmo).

Diz um  filosofo, cujo  nome esqueci, que a  atração  sexual,  a paixão e afins,  nada mais  são  do  que “truques” da  natureza para a  preservação  da  espécie. Pode  até  ser  que  ele esteja  certo, até  consigo  ver  a lógica da  teoria, mas também  é  uma  explicação bastante sem  graça.

O  que  nos  diferencia dos  animais,  que  procuram  pelo gozo só para  a procriação, é a  fantasia, a  imaginação,  a emoção que  colocamos no  ato. Tudo bem,  concordo de antemão com  todos  que  vão  dizer  que  isso  é  pura  ilusão,  que  pode  provocar  problemas  imensos, dores sem fim, sofrimento… e todos os  outros “poréns”.

Sei que  a  intelectualidade tem  fama  de excluir o  romantismo,  por  isso  tomo  o  maior cuidado para não me aproximar muito da  lógica intelectual pura,  pois  sem a fantasia  e ilusão dos  inocentes, a vida pode  até  ser  mais  segura,  mas fica  muuuuito  chata 😉 

 O  gozo da  vida vale  todas as mazelas,  e o  orgasmo  biológico, só  vale à pena  se junto vier a  sensação do  gozo por  simplesmente existir,  como o cantado nessa música… 

SEM MANDAMENTOS - OSWALDO MONTENEGRO
Hoje eu quero a rua cheia de sorrisos francos
de rostos serenos, de palavras soltas
eu quero a rua toda parecendo louca
com gente gritando e se abraçando ao sol
Hoje eu quero ver a bola da criança livre
quero ver os sonhos todos nas janelas
quero ver vocês andando por aí
Hoje eu vou pedir desculpas pelo que eu não disse
eu até desculpo o que você falou
eu quero ver meu coração no seu sorriso
e no olho da tarde a primeira luz
Hoje eu quero que os boêmios gritem bem mais alto
eu quero um carnaval no engarrafamento
e que dez mil estrelas vão riscando o céu
buscando a sua casa no amanhecer
Hoje eu vou fazer barulho pela madrugada
rasgar a noite escura como um lampião
eu vou fazer seresta na sua calçada
eu vou fazer misérias no seu coração
Hoje eu quero que os poetas dancem pela rua
pra escrever a música sem pretensão
eu quero que as buzinas toquem flauta-doce
e que triunfe a força da imaginação.

Publicado por: Raquel | julho 30, 2008

Interação…

 

Se analisarmos por  um  certo  ângulo,  é  somente  disso  que  se  trata a  vida. Interação, relacionamentos amorosos,  de amizade, até  mesmo de inimizades. Ações e reações se  provocando o  tempo  todo. Palavras,  olhares,  gestos, respostas… E tudo  isso  tendo  como  força  motriz os SENTIMENTOS. Olhamos  em  volta e  vemos  toda a  concretude  do  mundo, mas  de onde  vem a  realização de  todo  concreto senão dos  sonhos,  das  idéias  e do tão  abstrato SENTIMENTO?

E foi essa interação,  a idéia  que  o Cadinho Roco expôs  em  seu  comentário sobre  o  Sinal  Fechado   “De repente surge alguém que instala em nós novo rumo para atenção ” (Cadinho Roco).  que motivou  esse post. Inesperadamente  chega  alguém que  te trás e te provoca vontade de sorrisos.Você  nem  sabe bem  porque… A razão  às vezes te diz  que  você nem deveria  sorrir,  mas  o  SENTIMENTO,  a emoção,  nem  dá  bola,  o  coração  fica  em  festa e se permite bailar no  centro  da  vida sem  se  importar com  as  convenções. isto  é,  foca  a atenção em  si e  nas  suas  ilusões,  que  alguém fez surgir  como  passe  de mágica.

Texto  confuso esse  meu  hoje…rs  Ouçam  a “Valsinha” para,  talvez, captarem  melhor a essência.

Bjkas

Raquel

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias